Notícias

SCL Juniores Fernando Pereira entrevista

16th Dezembro, 2015

Numa semana que antecede o último jogo de 2015 da equipa de juniores do Sporting Clube Lourinhanense, a RCL entrevista um dos principais responsáveis pelo sucesso da equipa, o treinador Fernando Pereira.

 Desde o seu passado como jogador e treinador, até à antevisão do jogo de sábado, que decide quem termina o ano civil de 2015 no primeiro lugar da classificação na Liga de Honra de Juniores, fazemos uma viagem no tempo que permite compreender o trajeto da equipa ao longo dos últimos dois anos e desenhar os traços que definem o perfil de um treinador que está longe de ser apenas mais um no seu meio profissional.

O passado no futebol

A entrada no mundo do futebol começou como quase sempre começa. Fernando Pereira fez a sua formação, enquanto jogador, no clube da sua terra, Peniche. Moldaram-no para percorrer a ala direita dentro das quatro linhas, podendo jogar como lateral e médio. Enquanto sénior, permaneceu no concelho de Peniche, mas mudou-se para a Atouguia da Baleia, onde representou as cores do Grupo Desportivo Atouguiense.

Antes de enveredar pela carreira de treinador ainda foi diretor do Grupo Desportivo Atouguiense durante alguns anos e acumulou uma passagem pelo Sporting Clube da Estrada na qualidade de responsável pelo futebol sénior.

Foi na viragem do milénio, aos 33 anos, que começou como treinador, com passagens por alguns clubes da Associação de Futebol de Leiria.

DSC09507

A chegada à Lourinhã

Aos 47 anos, benfiquista de coração e funcionário no setor das águas da Câmara Municipal de Peniche, Fernando Pereira chegou à Lourinhã para assumir o cargo de treinador da equipa de juniores em 2014, onde se reviu num projeto de dois anos, apresentado pela direção do Sporting Clube Lourinhanense, em que o objetivo passava por atacar, no segundo ano, a promoção à Liga de Honra de Juniores, mas as circunstâncias alteraram-se logo no primeiro ano.

Se na época 2013/2014 a equipa de juniores do SCL militava na 1ª Divisão Distrital, onde alcançou, ainda sem Fernando Pereira no comando, o 8º lugar da classificação, a chegada do novo mister resultou em 2014/2015 na promoção à Liga de Honra, tendo obtido o 2º lugar da classificação atrás apenas do Vilafranquense. Em 30 jogos a equipa obteve 70 pontos, fruto de 22 vitórias e teve o segundo melhor registo do campeonato no que aos golos marcados e sofridos diz respeito. Marcaram-se mais de uma centena de golos e sofreram-se apenas 37.

A temporada atual

Para esta temporada, Fernando Pereira admite que perdeu alguns jogadores que foram fundamentais para alcançar a subida à Divisão de Honra, mas não acredita que a equipa seja menos competente. Confessa-se algo surpreendido com um início de campeonato tão consistente, numa divisão em que os índices de competitividade são muito superiores aos da época passada, contudo, o primeiro lugar que a sua equipa ocupa atualmente, quando foram já disputadas 11 jornadas, está longe de ser fruto do acaso ou da sorte, na sua opinião.

Quando questionado sobre os pontos fortes do seu plantel, Fernando Pereira não quis individualizar valores e acredita que a diferença se faz nos pormenores táticos do coletivo. Quanto a limitações, o treinador lamenta não ter mais opções num plantel de 21 jogadores em que as adaptações, por força das circunstâncias, condicionaram a prestação da equipa no último jogo, onde consentiu a primeira derrota caseira.

DSC09510

A abordagem ao jogo

No capítulo tático, Fernando Pereira não defende um esquema específico. Posiciona os jogadores no campo em função dos seus atributos individuais de forma a atingir a harmonia do coletivo. É no estilo de jogo que o treinador conserva os seus ideais. Posse de bola em todos os setores do campo sempre com a iniciativa do jogo, de forma a chegar à área adversária com diversas opções para a finalização.

A qualidade do plantel e os objetivos

Os bons resultados desportivos são fruto do trabalho do treinador, mas “sem ovos não se fazem omeletes”. Fernando Pereira é o primeiro a reconhecer a qualidade do seu plantel e acredita que todos servem os interesses da equipa sénior do SCL. Fomos mais longe, e questionámos o mister quanto à possibilidade de algum dos seus pupilos atingir outro patamar na carreira e eis que tivemos duas surpresas e meia.

Face ao sucesso da época passada e ao excelente arranque de campeonato este ano, houve necessidade de se redefinirem os objetivos para o final da temporada. Perguntámos se o objetivo é o primeiro lugar da Liga de Honra em época de estreia. Fernando Pereira acredita que com a atitude certa a sua equipa pode fazer “um brilharete”.

A ligação emocional ao jogo

De duas em duas semanas, a tarde de sábado no Estádio Municipal da Lourinhã representa a “hora de ponta” daquele espaço, com mais espectadores à volta do campo sintético do que as bancadas do estádio, durante os jogos da equipa sénior ao domingo. É a hora em que acontecem, em simultâneo, dois espetáculos. São eles o jogo da equipa de juniores do SCL e a performance de Fernando Pereira que, do banco de suplentes, dá indicações aos seus jogadores e algumas reprimendas que, por vezes, criam burburinho na assistência. Pedimos ao mister para se autoavaliar.

Existe uma ligação direta entre os dois espetáculos de sábado à tarde que já referimos. Se a performance da equipa não estiver de acordo com as expectativas de Fernando Pereira, a sua atuação no banco sobe de tom. Quando chegou ao clube em 2014, desde logo a sua postura foi alvo de críticas, mas os bons resultados e os hábitos foram-se vincando até que o inesperado aconteceu há cerca de 3 semanas.

Um dos pontos fortes de Fernando Pereira, reconhecido pelo próprio e por outros que trabalham ou já trabalharam com ele no passado, passa por dois momentos chave no futebol que curiosamente acontecem no mesmo local, o balneário. São eles o discurso de motivação que antecede os primeiros 45 minutos de cada jogo e os “puxões de orelhas” que dá aos seus jogadores ao intervalo se a exibição na primeira parte não o tiver convencido.

O último jogo do ano

No próximo sábado os juniores do SCL deslocam-se ao campo do Futebol Benfica, equipa que segue na segunda posição do campeonato com menos um ponto que a equipa de Fernando Pereira. Este jogo determina quem entra em 2016 na liderança, uma vez que a competição só regressa em janeiro. Para este jogo, Fernando Pereira não conta com 3 jogadores que cumprem castigo depois de terem sido sancionados disciplinarmente. O mister confessou-nos alguns pormenores da estratégia que tenciona usar para manter a liderança, bastando para isso um empate.

O futuro profissional

Fernando Pereira cumpre em maio o segundo ano do projeto que abraçou em 2014 e para isso teve de romper com uma promessa que reservou a si mesmo. Até ao final do campeonato há vários desfechos possíveis e o mister não fecha a porta à continuidade no SCL, apesar de ter em mente outros projetos, nomeadamente no futebol sénior.

No horizonte fica para já a possibilidade de disputar, até ao final da temporada, o título da Divisão de Honra. Tal como afirmou Fernando Pereira nesta entrevista exclusiva à RCL, o caminho é feito passo a passo, subindo-se um degrau de cada vez. O próximo sobe-se já este sábado, dia 19 de dezembro, no campo do Futebol Benfica a partir das 15h00.