Notícias

+ Política

26th Fevereiro, 2016

O Grupo Municipal do CDS-PP foi a eleições no último sábado, dia 22 de fevereiro, na Lourinhã. Paula Marinho foi reeleita presidente da concelhia para um mandato de dois anos em que o objetivo passa por consolidar o trabalho desenvolvido no seu primeiro mandato à frente do CDS.

Estas eleições foram as primeiras em mais de uma década e para a líder centrista, este é um sinal de que o seu partido tem vindo a ganhar força no concelho e tem uma palavra a dizer enquanto oposição.

O Grupo Municipal do CDS identifica como um dos principais problemas autárquicos no concelho da Lourinhã, a falta de meios que possibilitem aos munícipes ter uma palavra a dizer quanto ao desenvolvimento do concelho. Para Paula Marinho a Assembleia Municipal não chega e é preciso criar alternativas de diálogo com os lourinhanenses, que considera desmotivados a participar num debate público que defenda a atratividade do concelho.

Quando questionada sobre medidas concretas a implementar a nível autárquico, Paula Marinho garante que o seu partido tem uma posição definida nas diversas áreas de intervenção do poder autárquico, mas prefere não entrar em casos específicos por acreditar que o diálogo partidário é a chave para fazer evoluir a Lourinhã.

A consolidação do CDS-PP no concelho da Lourinhã não tem sido um trabalho fácil, mas o objetivo passa por aumentar o número de militantes. A receita é, segundo Paula Marinho, o trabalho e a presença constantes do partido no panorama político concelhio, como forma de reforçar a confiança e o interesse das pessoas. Nas palavras da líder centrista, o CDS-PP não vai aparecer apenas a três meses das eleições, nem pretende ter a postura do “treinador de bancada”. Para já o feedback dos munícipes mostra que o partido está a construir uma imagem positiva, enquanto oposição ao atual executivo socialista.

No último mandato, o primeiro de Paula Marinho enquanto líder do partido, o balanço do trabalho desenvolvido é positivo. Para a presidente do CDS o papel dos três deputados centristas em Assembleia Municipal tem sido esforçado e em nada envergonha o partido.

Em assembleia municipal e fora dela, para o Grupo Municipal do CDS-PP o Planalto das Cesaredas e a estratégia do executivo municipal, no que diz respeito ao comércio tradicional, foram as prioridades da ação do partido no mandato anterior.

Na perspetiva de Paula Marinho, a estratégia para o comércio tradicional na Lourinhã deveria passar pela criação de iniciativas-âncora que fixassem a população e atraíssem turistas de fora, um pouco à semelhança do município de Óbidos. Por outro lado, a líder centrista vê o nosso concelho, em épocas festivas como o Carnaval, a subjugar-se às atividades levadas a cabo por municípios vizinhos, em vez de criar as suas próprias estratégias de atração de pessoas. Também a decisão de descentralizar escolas é vista como um ponto negativo que afeta o comércio tradicional.

Quanto ao futuro do CDS-PP na Lourinhã, o deputado municipal Joaquim Barbosa salienta que este só faz sentido com os jovens e a reativação da Juventude Popular concelhia é um fator importante na consolidação do próprio partido e uma forma de aumentar os números da militância e a estabilidade para o partido centrista.

Com as eleições autárquicas de 2017 no horizonte, as metas do CDS-PP liderado por Paula Marinho na Lourinhã, passam por dar voz aos munícipes que depositem no partido o seu voto de confiança. Quanto a terminar o atual mandato com a sensação de dever cumprido, Paula Marinho fala em aumentar a expressão do partido a nível concelhio e autárquico.