Notícias

Jorge Faria de Sousa em entrevista

1st Junho, 2015

A RCL recebeu nos seus estúdios o Presidente da Juventude Social-democrata de Lisboa – Área Oeste, o lourinhanense Jorge Faria de Sousa, numa altura em que se assinala o seu primeiro ano de mandato.

Depois de ter sido Presidente da JSD na Lourinhã Jorge Faria de Sousa abraçou um desafio mais amplo e faz um balanço positivo deste primeiro ano.

 

A Acção da JSD

No âmbito das propostas apresentadas pela JSD, Jorge Faria de Sousa defende: “Fomos os primeiros a perceber que o embargo russo aos produtos do Ocidente eram um problema que os produtores do Oeste viviam, e por causa disso, reunimos com a Associação Nacional de Produtores de Pêra Rocha e com a Associação Interprofissional de Hortifruticultura do Oeste, deixando o compromisso de criar uma proposta junto da Comunidade Intermunicipal do Oeste para a marca ‘Produto do Oeste’”.

Outras acções da JSD passaram pela apresentação de um Plano de Protecção Civil Intermunicipal, um Conselho Intermunicipal de Juventude e a criação da marca ‘Produto do Oeste’ no contexto da OesteCIM.

No concelho da Lourinhã, Jorge Faria de Sousa refere que foi a JSD a pioneira na discussão e apresentação de propostas relativas ao tema ‘Solidariedade Intergeracional’, tendo apresentado em Assembleia Municipal da Lourinhã uma proposta de criação de uma Comissão de Protecção de Idosos e uma moção que defendia a reorganização da rede do ensino superior e uma aposta no ensino profissional com especial ênfase para a área agrícola, pela importância que tem na região oeste.

Ainda no concelho da Lourinhã, o Presidente da JSD Área Oeste mostra-se satisfeito pela recente aposta do município na criação do Cartão Lourinhã Jovem, uma das propostas que a JSD tem vindo a defender na Lourinhã, tal como a necessidade de se avançar com o projecto “Parque Jurássico”.

Os jovens e o afastamento da política

Neste primeiro ano de mandato Jorge Faria de Sousa considera que o maior desafio de uma Juventude Partidária passa por credibilizar a política, e nesse sentido salienta a importância de agir junto das escolas para atingir os jovens e evitar o seu afastamento que considera ser cada vez maior.

A JSD esteve no ano passado nas escolas dos 6 municípios que compõem a área oeste a ouvir os jovens e a apresentar soluções para as questões que estes colocaram, acção desenvolvida igualmente junto das Associações Profissionais Agrícolas.

Esta proximidade é definida por Jorge Faria de Sousa como “uma credibilização da política por cada proposta concreta que é apresentada em função do contacto com as pessoas, independentemente da faixa etária”.

Ainda no capítulo da relação entre a política e a juventude confessa que o aflige os jovens não terem cultura política e defende a reintrodução da disciplina de Formação Cívica no ensino básico.

Para além do afastamento dos jovens da política, outra preocupação que necessita de reflexão passa pelas elevadas taxas de abstenção nas eleições em Portugal. Uma das soluções que defende é o debate nas escolas para que os jovens não coloquem o seu futuro nas mãos de quem vota e sejam parte activa neste processo. Duas medidas defendidas pela JSD para evitar esta tendência são, segundo o presidente, a implementação do voto electrónico e a obrigatoriedade do voto.

Quando questionado sobre se uma boa relação com as outras juventudes partidárias é importante para combater este fenómeno, Jorge Faria de Sousa afirma que essa relação existe e é saudável.

O PSD e a JSD

A relação entre o partido e a juventude partidária é recíproca e a principal diferença entre ambos passa pela irreverência que, segundo o presidente da JSD Área Oeste, é a sua imagem de marca.

Também a relação entre os 6 concelhos que a compõem é positiva e afirma que “houve um cuidado, na formação da minha equipa, em representar todas as concelhias”.

O futuro da JSD Lisboa – Área Oeste

Quanto ao futuro os próximos desafios passam pelo apoio do partido na campanha eleitoral das próximas Eleições Legislativas; a realização de um fim-de-semana de conferências com professores catedráticos, antigos e actuais dirigentes políticos do PSD e especialistas de diversas áreas; participação activa em fóruns e nas assembleias intermunicipais; e ainda um dos objectivos do seu mandato a curto prazo passa pelos concelhos de Alenquer e Sobral de Monte Agraço.