Notícias

Corrida Lourinhã – Jamor (amanhã)

17th Abril, 2015

A Oikos em Portugal promove a segunda edição do Oikos Desafio 100, a decorrer nos dias 18 e 19 de Abril de 2015, uma corrida entre a Lourinhã e o Estádio do Jamor que totaliza 100km. Os fundos angariados revertem a favor da criação de uma plataforma online que pretende reduzir o desperdício das 332.000 toneladas anuais de alimentos na produção nacional.

A RCL falou com Pedro Krupenski da Oikos, que fez um balanço da 1ª edição e avançou as expectativas para esta nova edição que deverá contar com 400 participantes.

Mais informações em www.oikosdesafio100.pt

oikos1

Falámos também com Rosa Mota que vai participar na 1ª etapa do desafio e deixou uma mensagem para os ouvintes RCL.

O Desafio Físico

Os participantes podem percorrer os 100kms, divididos pelos dois dias de prova, de 3 diferentes formas:
» Uma equipa de 4 atletas em regime de estafeta em que cada participante faz 25km;
» Uma equipa de 8 atletas em regime de estafeta em que cada participante faz 12,5km;
» Individualmente, percorrendo a totalidade dos 100km ou, para os menos aventureiros mas que não querem deixar de contribuir, apenas os primeiros 12,5km.Todos quantos queiram correr em equipa mas que não tenham ainda o número de participantes necessário deverão inscrever-se na mesma, ficando a Oikos responsável por completar estas equipas desde que existam outros participantes na mesma situação.

Recomenda-se ainda sempre a existência de um carro de apoio, cuja inscrição está já incluída no valor individual.

O Desafio Solidário

Para além do desafio físico, o desafio solidário procura mobilizar os participantes, e a população em geral, para a angariação de fundos para a construção da plataforma digital que constitua um mercado eletrónico de proximidade para produtos hortofrutícolas.

Anualmente há cerca de 166.000 toneladas destes produtos, que todos os anos, em Portugal não chegam sequer a entrar na cadeira de distribuição, podendo desta forma ser comercializados directamente por pequenos produtores e comerciantes.

Querendo, desta forma, facilitar a produção e a comercialização a preço justo, encaminhando os excedentes para instituições de solidariedade. Para além da redução do desperdício num país com sensivelmente 300 mil pessoas que passam fome, favorece-se as economias locais.

Neste sentido, para além do valor de inscrição, todos os participantes serão desafiados a realizar provas paralelas que acontecerão até ao dia da corrida com o objectivo de angariar mais fundos para esta causa. A participação é facultativa e não tem impacto na corrida.