Notícias

Concurso de professores

5th Março, 2015

O Ministério da Educação pretende fazer emagrecer os quadros de professores das escolas públicas já a partir do ano lectivo 2015/2016.

Para esse fim, tenciona extinguir vagas referentes aos cargos de Docentes do Quadro de Escola e Docentes do Quadro de Agrupamento.

Em termos práticos, esta medida significa que em caso de um professor efectivo decidir sair da escola, o seu lugar é extinto, não havendo lugar a substituição.

Pelas contas do Ministério de Nuno Crato existem em Portugal cerca de 9500 vagas negativas, ou por outras palavras, 9500 vagas em excesso face às necessidades de algumas escolas, e 4600 vagas positivas, ou seja, 4600 lugares que necessitam de ser preenchidos em agrupamentos escolares com falta de docentes.

Isto significa que cerca de 5000 vagas correm o risco de ser extintas dos concursos internos no próximo ano lectivo, caso os professores optem por sair da escola, seja para outro estabelecimento de ensino ou para outro grupo de recrutamento.

Os dados relativos às vagas negativas e positivas por concelho mostram que na nossa região Oeste, todos os concelhos apresentam vagas para concurso interno superiores às necessidades das escolas, segundo o Ministério da Educação há:

16 vagas a mais no Bombarral, 72 nas Caldas da Rainha, 1 em Óbidos, 44 em Peniche, 39 em Alenquer, 18 vagas em excesso no cadaval e em Mafra, 30 em Torres Vedras e finalmente 24 vagas a extinguir nas escolas públicas do concelho da Lourinhã.

Fenprof e Directores dos estabelecimentos de ensino são contra esta medida, que consideram diminuir o número de docentes nas escolas e provocar uma sobrecarga no seu trabalho.