Notícias

Basquetebol: Studio 5 dá cartas na modalidade

12th Janeiro, 2016

Há três anos que a equipa de basquetebol Studio 5 participa no campeonato da modalidade levado a cabo pela Fundação INATEL. Com o apoio da Associação Juvenil 7ª Vaga e do Agrupamento de Escolas da Lourinhã, este é um projeto desportivo que aproximou o concelho da Lourinhã de uma modalidade que cá não tem história, para além do desporto escolar.

Fazemos uma viagem no tempo, ao longo dos últimos três anos, com o testemunho dos responsáveis por este projeto, Nino Matias e Pedro Paulo, para perceber as dificuldades encontradas por um grupo de amantes do basquetebol que alcançaram estabilidade e condições para competir num campeonato semiprofissional onde defrontam regularmente antigos jogadores da primeira divisão nacional e até alguns campeões da modalidade.

IMG_20160108_150301

Studio 5

O nome da equipa surgiu tal como todos os nomes das equipas que competem no campeonato da Fundação INATEL, ou seja, é o nome da empresa ou associação patrocinadora. Studio 5 é o nome do gabinete de arquitetura de Nino Matias e Pedro Paulo. Dois arquitetos que há três anos decidiram dar o passo seguinte e fazer dos habituais jogos de basquetebol de fim-de-semana, um projeto desportivo semiprofissional.

Para definir o início da paixão pelo basquetebol destes dois arquitetos, temos de recuar cerca de treze anos, aos seus tempos de escola. Foi no ensino secundário que o “bichinho” da modalidade os atingiu.

Terminado o ensino secundário, cada um seguiu a sua vida académica e profissional, o que voltou a afastar o núcleo duro do grupo. Foi num Verão como outro qualquer que voltaram a retomar a prática da modalidade entre amigos, mas depois chegou o Inverno…

Vencido com êxito o problema da sazonalidade e estabelecendo como “casa” o pavilhão da Escola Secundária Dr. João Manuel da Costa Delgado, na Lourinhã, o outrora “Grupo do Basquete” da escola era agora composto por cerca de quinze presenças regulares em cada jogo. Foi então que surgiu uma partida que viria a dar forma à atual equipa Studio 5.

Depois de tomarem conhecimento do Campeonato de Basquetebol da Fundação INATEL, os dois colegas de trabalho reuniram esforços para criar a sua equipa e foi então que através de Mauro Martins, um dos jogadores, chegaram a acordo com a Associação Juvenil 7ª Vaga.

Com as condições mínimas reunidas para participar no campeonato, era preciso encontrar um local com condições para treinar regularmente. Devido às dificuldades em obter patrocinadores, foi o Agrupamento de Escolas da Lourinhã a única entidade a dar resposta positiva às necessidades da equipa.

A estreia no campeonato da Fundação INATEL

Chegada a hora da verdade, a estreia no primeiro jogo do campeonato esteve quase a correr bem, mas a falta de experiência levou a melhor e a Studio 5 começou com uma derrota.

Habituados a jogar basquetebol, mas nem por isso a treinar especificamente para a modalidade, valeu o conhecimento de um dos poucos jogadores federados para guiar a equipa durante as sessões de treino.

Uma das particularidades do primeiro ano de competição e que por força das circunstâncias viria a repetir-se no segundo, prendeu-se com o facto de não estarem reunidas, no pavilhão da escola secundária da Lourinhã, as condições necessárias para acolher os jogos da Studio 5. Assim, durante dois anos, a equipa deslocou-se todas as semanas a Lisboa para disputar os seus jogos. Esta foi uma das principais dificuldades que teve de ser ponderada no balanço do final da primeira época de competição.

No segundo ano voltaram a não estar reunidas condições para acolher jogos de basquete no concelho e a solução voltou a ser uma dose extra de espírito de sacrifício e uma noite por semana com menos horas de sono, quase sempre em dias úteis, durante mais uma época.

A boa prestação da equipa nos primeiros dois anos foi o mote para continuar a competir no Campeonato da Fundação INATEL. Esta prova semiprofissional é composta por três fases, como explica Pedro Paulo.

Apesar de competir contra atletas de uma faixa etária superior, a Studio 5 defronta regularmente jogadores com passagens pelo primeiro e segundo escalões de basquetebol a nível nacional, alguns deles campeões e internacionais pela seleção portuguesa. Com este nível de competição dificilmente se ganha o jogo, mas apesar das derrotas, surgem episódios memoráveis.

Para além das experiências vividas pela equipa, no papel ficaram registados um 4º lugar na primeira participação na Taça Lisboa (segunda fase da competição) e no segundo ano, a Studio 5 foi a quinta melhor equipa.

IMG_20160106_230206

A corrente temporada

Antes do início da terceira temporada, que está atualmente na primeira fase, os jogadores da Studio 5 foram unânimes em concordar que se à terceira tentativa não fosse possível realizar metade dos jogos no concelho da Lourinhã, o projeto desportivo terminava.

Para cumprir os requisitos exigidos pela Fundação INATEL, um pavilhão com dois cestos e as marcações do campo com dimensões corretas não são suficientes para acolher os jogos do campeonato de basquetebol. A studio 5 precisou de criatividade para conseguir obter um marcador de segundos, típico dos jogos da modalidade e que, em média, ultrapassa os 700 euros.

Ainda no capítulo da criatividade, até o equipamento da equipa apresenta características diferentes de todos os outros. Os dois arquitetos da equipa transformaram-se em designers de moda e criaram um modelo que lhes permite escolher na hora do jogo de que cor vão alinhar e tirar algum proveito económico de não terem investido em equipamento alternativo.

Quanto à prestação da equipa, este ano luta pela primeira vez por uma passagem à fase final onde só entram as quatro melhores equipas de cada grupo e o objetivo passa por alcançar esse feito.

No que diz respeito ao futuro da equipa e da modalidade no concelho, Pedro Paulo e Nino Matias assumem ter um sonho desde os tempos de escola e que sempre passou por trazer o basquetebol federado para a Lourinhã. Hoje olham para traz e sentem que estão mais perto de o alcançar.

Este é um projeto desportivo que teve por base o espírito de sacrifício e o gosto pelo basquetebol. Depois de três anos e muitos obstáculos ultrapassados, a equipa Studio 5 alcançou uma estabilidade que permite a Nino Matias e Pedro Paulo imaginar um futuro em que o basquetebol e a Lourinhã fortaleçam a sua ligação. O objetivo, para já, passa por ganhar um jogo de cada vez e o próximo é já na sexta-feira às 22h00 diante da formação da Mata de Benfica, no Pavilhão 1º de Maio, da Fundação INATEL.