Notícias

Automac no Rali de Águeda

13th Novembro, 2015

Ao longo das últimas semanas Jorge Maçarico e o pai Américo, da Automac Bosch Car Service Lourinhã – Santa Bárbara têm trabalhado para afinar os motores dos seus carros que vão a competição este fim de semana no Rali de Águeda.

Esta será a segunda prova da época para os pilotos da Automac. Jorge Maçarico, ao volante de um Volskwagen Golf GTI tem como navegador Luís Ribeiro, já Américo Maçarico e a filha Vanessa competem num mitsubishi Lancer Evolution 6.

Em entevista à RCL Jorge Maçarico explica quais os objetivos para a prova de águeda que começa amanhã.

Para o Rali de Águeda a equipa Automac é composta pelos 2 pilotos e pelos seus navegadores para além da equipa técnica composta por 3 mecânicos. Jorge Maçarico explicou à RCL como é que a equipa evoluiu desde 1997, altura em que pai e filho partilhavam o mesmo carro.

A descarga de adrenalina que sofre quando está sentado ao volante do seu carro, segundos antes de iniciar uma prova, é o que Jorge Maçarico define como o melhor momento de um rali.

Em 1997 foi quando entrou no mundo das 4 rodas, com 13 anos, mas não começou como piloto.

Com uma ligação de 19 anos ao mundo do rali, as histórias, confidencia, já lhe permitiam escrever um livro. À RCL, Jorge Maçarico destaca aquela vez em que falhou uma curva mas aprendeu uma grande lição.

Jorge Maçarico conhece bem a sensação de ambos os lugares num carro de rali. Durante a sua carreira ocupou o esquerdo e o direito e garante que a relação entre piloto e navegador é baseada na confiança. Para Maçarico é mais difícil a posição do navegador.

Apesar de reconhecer que é raro haver um desentendimento entre piloto e navegador, este cenário pode acontecer. No caso de Jorge Maçarico, pode sempre recuperar longe do seu copiloto Luís Ribeiro, mas há um carro na equipa Automac composto por Américo Maçarico e pela filha Vanessa. A situação é mais delicada?

Depois de um período de 2 anos sem competir regularmente Jorge Maçarico e a equipa Automac voltaram à competição este ano apenas com uma prova realizada. O Rali Vinho do Dão realizou-se há 3 semanas e as recordações não são as melhores.

Para além das falhas mecânicas, que podem ser o pior pesadelo de uma equipa de rali, há outra dificuldade constante que se prende com o investimento necessário para se ter uma participação assídua nas provas. Os patrocinadores ajudam, mas por vezes tem de se recorrer à criatividade para cumprir com o orçamento de cada corrida.

O Rali de Águeda encerra a participação da Equipa Automac na competição em 2015. Os objetivos para o próximo ano já estão a ganhar forma e passam pela presença regular em provas de rali.

Rali de Águeda: A Prova

27 – AMÉRICO MAÇARICO e VANESSA MAÇARICO no Mitsubishi Lancer Evolution 6

31 – JORGE MAÇARICO e Luís Ribeiro no Volkswagen GOLF Gti

O centro nevrálgico do rali está localizado nos Bombeiros Voluntários de Águeda. A prova inicia-se às 19h30 de sábado, junto ao parque localizado nas imediações do pavilhão do GICA

No sábado, têm lugar duas passagens pela prova especial espetáculo “EE Águeda” com 3,39kms, que atravessa a povoação de Recardães: a primeira às 19h55 e a 2ª às 20h58. Haverá um reagrupamento entre ambas, terminando às 22h05.

No domingo, o Rali de Águeda regressa à estrada a partir das 10h30 e também à mítica classificativa do Préstimo. A classificativa do Préstimo tem 11,03 quilómetros de extensão e três provas especiais: 11h03, 12h14 e 14h41.

O reconhecimento dos percursos pelos concorrentes será feito no sábado, entre as 8h30 e as 17 horas. Haverá ainda animação na praça 1º de maio, onde decorre o Agitágueda, durante a tarde e a noite de sábado e o dia de domingo.

A entrega de prémios está marcada para as 15h18, após a chegada ao parque de estacionamento do pavilhão do GICA. Oportunidade para o Clube Automóvel do Centro entregar os trofeus do campeonato de ralis do centro.